Era Vitoriana

Primeiro site brasileiro dedicado ao período Vitoriano, datado de 1837 a 1901.

Herero: A tribo africana cujas mulheres usam roupas vitorianas

namibi

Os Herero são um grupo étnico que habita partes da África do Sul, principalmente a Namíbia. Há por volta de 250 mil membros vivos hoje. Os Herero usam, até hoje, o estilo vitoriano de vestuário do povo alemão que tentou exterminá-los no final do século XIX e início do século XX.

Em 1892, colonos alemãs entraram no país sul-africano da Namíbia e declararam aquele local como o “Sudoeste Africano Alemão” por volta de 1904. O povo Herero e as pessoas da Namíbia e arredores obviamente não ficaram muito feliz com isso, ainda mais com o fato de que os alemães estavam roubando progressivamente suas terras e gado. Eles se rebelaram no mesmo ano. Isso levou ao primeiro genocídio do século 20, também conhecido como o genocídio Herero, em que por volta de 24 mil a 100 mil habitantes perderam suas vidas. A guerra dos Herero durou até 1907, quando os povos foram derrotados pelo general Lothar van Trotha, e forçados a entrar no deserto, onde a grande maioria deles acabou morrendo de fome ou desidratação. Sobre isso, o general falou:

“Eu acredito que a nação como tal deve ser aniquilada, ou se isso não for possível pelas medidas táticas, que sejam expulsos do país… Isso será possível se os poços de água de Grootfontein a Gobabis serem ocupados. O movimento constante de nossas tropas nos permitirá encontrar os pequenos grupos da nação que se moveram para trás e destruí-los gradualmente”.

tribo (4)Depois de perder a guerra para os alemães em 1907, as tribos Herero foram forçados a viverem em campos de concentração e de trabalho forçado onde muitos morriam de fome e estavam sujeitos a “experimentos raciais”. Lá, os povos nativos eram forçados a se vestirem de acordo com as atitudes conservadora dos missionários alemães.

Algumas mulheres eram forçadas à escravidão sexual. Um explorador que visitou a área em 1905 descreveu os campos de concentração dizendo que havia centenas deles (africanos), a maioria mulheres e crianças, sendo alguns velhos. As mulheres grávidas ou carregando crianças eram forçadas a trabalhar como qualquer outra, e quando caíam, eram chutadas até se levantar. Tendo presenciado uma cena dessas, o explorador relatou que a mulher “não emitiu um som o tempo todo, mas o bebê chorou dolorosamente”. 80% dos prisioneiros enviados para o campo não sobreviviam. Quase 3 mil crânios deles foram enviados para a Alemanha, para análises aprofundadas.

De acordo com os relatórios, entre 1904 e 1907 de 80 mil a tribo foi reduzida para meros 15 mil. Quando os alemãs finalmente deixaram a Namíbia em 1919 como consequência do Tratado de Versalhes, o povo Herero continuou a se vestir na forma tradicionais dos alemãs como forma de lembrar de seu passado. As mulheres muitas vezes enfeitam suas cabeças com chapéis originais cujos tecidos replicam chifres em honra a suas comunidades dependentes do gado.

herero (8)Lutz Marten, um linguista da Escola de Londres de Estudos Africanos e Orientais, com uma especialização na Tribo Herero, tenta explicar por que as mulheres Herero ainda se orgulham de seu estilo vitoriano, influenciado pelas mesmas pessoas que cometeram um grande genocídio contra seu povo: “Isso é em parte a assimilação da cultura européia, mas também, em parte, apropriação e da superação da história e da experiência colonial”.

“O vestuário serve como um lembrete de onde vieram, as cicatrizes de seu passado e é uma forma de reconhecer o fato de que eles são os únicos no poder agora”.

Em 2004, no 100º Aniversário do início do genocídio, um membro do governo alemão pediu desculpas oficialmente em um discurso, e embora a possibilidade de pagamento como forma de compensação tenha sido descartada, a Alemanha prometeu continuar a enviar uma ajuda econômica para a Namíbia que equivale atualmente a 14 milhões de dólares por ano.

bonecasAs notáveis roupas das mulheres da tribo na quente e ensolarada África incluem vestidos pesados de linho que misturam o período vitoriano com o Eduardiano, com numerosas anáguas volumosas e mangas bufantes nos braços, típicos da moda ocidental do século 19.  Com o tempo, as mulheres se tornaram mais criativas elaborando seus trajes caseiros, escolhendo cores vibrantes e costuras com retalhos para o vestido. Para mulheres mais habilidosas, esta é uma maneira de expressar seu talento com projetos impressionante. Algumas mulheres fazem artesanato e vendem bonecas em miniatura de si mesmas vestidas com suas criações para turistas.

As mulheres Herero apaixonadamente vigiam seu estilo incomum e antigo de vestuário. Ele passou a representar uma roupa apropriada para mulheres casadas, e com grande orgulho elas mostram para a sociedade que estão prontas para crescerem, serem adultas e manterem as tradições dos antepassados de sua tribo. Mas só de olhar para elas você pode perceber que eles não são nada fáceis: pesados, quentes e difíceis de serem mantidos limpos. No entanto, elas são ferozmente orgulhosas de seus vestidos vitorianos.

Veja mais algumas fotos dessas mulheres incríveis:

herero (6)
herero (11) herero (7)
Herero woman in blue dress namibi namibi 2

Embora seja discutido na internet que as pessoas da tribo não usam seus vestidos no dia-a-dia e sim em ocasiões especiais, um professor que vive em uma pequena aldeia Herero afirmou em 2014 no Reddit que muitos dos trabalhadores institucionais usam regularmente o traje colonial, e que esse tipo de vestuário também é utilizado em ocasiões formais (inclusive, ele conhece uma mulher que faz e vende os vestidos retratados em algumas fotos desse artigo e disse que cada um custa cerca de 50 dólares, se o tecido for fornecido). Uma mulher que viveu na Namíbia entre 1989 e 1990 também afirmou que sua empregada usava vestidos nesse estilo com várias camadas de anágua. Outro usuário da rede também afirmou que a Namíbia não é tão quente como possa parecer – ele ficou lá durante um mês, e disse que foi um dos lugares mais frios onde já esteve, pelo menos à noite – durante o dia, o clima é temperado, e há muito vento. Além disso, muitos países quentes usam vestidos longos, pois manter o corpo coberto com tecido fresco folgado te mantém muito mais confortável no calor extremo.

Traduzido e adaptado dos artigos:
The incredible Victorian-style fashions of Africa’s Herero people“, de Robyn Pennacchia.
Why The Women of This African Tribe Dress in Victorian Era Fashion“,
The African Women who dress like Victorians“.
TIL an African tribe still wears Victorian clothes, the style of former German occupiers that they’ve made their own“.
Anúncios

Um comentário em “Herero: A tribo africana cujas mulheres usam roupas vitorianas

  1. Noely Maia
    30 de setembro de 2015

    Que história…
    Realmente o que sabemos é insignificante perto do que não sabemos
    Mais um povo que resistiu aos invasores e sobreviveu ao genocídio

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 107 outros seguidores

Translate this

Siga-nos no Youtube

%d blogueiros gostam disto: