Mulher amamentando, 1860.
Mulher amamentando, 1860.

Quase sempre que uma mulher posta uma foto amamentando, diversas reações podem ser esperadas, quase sempre negativas, refletindo um possível mal-estar de uma parte sexualizada do corpo sendo usado para alimentar uma criança. Recentemente ainda, aqui no Brasil, uma crítica feita no Facebook contra uma mulher andando de bicicleta enquanto amamentava uma criança foi alvo de polêmica. Mas essa polêmica não existia no século 19, quando tirar fotos amamentando também era moda.

Em meados de 1800, as imagens de mães lactantes se tornou moda nos Estados Unidos. O uso de amas de leite se tornou impopular na América e na Europa no início do século, e amamentar seu próprio filho se tornou uma regra do valor como mãe. Construções culturais de feminilidade se tornaram altamente centradas sobre a maternidade e a ligação especial entre mães e filhos na era vitoriana. E como o daguerreótipo se tornou disponível, mulheres começaram a posar amamentando seus filhos, em um dos mais essenciais papéis maternos.

Isso pode parecer muito curioso, uma vez que a maioria das fotos que vemos do século XIX são formais. Mas esse conjunto de fotos abaixo mostra uma tendência mais informal que poderíamos esperar:

Mulher amamentando, 1897.
Mulher amamentando, 1897.

Mulher amamentando, 1891.
Mulher amamentando, 1891.

Mulher amamentando, século 19.
Mulher amamentando, século 19.

Mulher amamentando, século 19.
Mulher amamentando, século 19.

Mulher amamentando, século 19.

Mulher amamentando, século 19.
Mulher amamentando, século 19.

Mulher amamentando, século 19.
Mulher amamentando, século 19.

Mãe amamentando seu bebê, por Louis Fleckenstein, 1900.
Mãe amamentando seu bebê, por Louis Fleckenstein, 1900.

Mulher amamentando, século 19.
Mulher amamentando, século 19.

Tendo em conta que algumas dessas imagens são daguerreótipos – e não fotografias – as mulheres obviamente não parecem muito confortáveis – isso porque eles teriam que ficar parados por até mais de cinco minutos. Outro detalhe particularmente interessante é que se pode observar que algumas crianças retratadas parecem ter, pelo menos, 12 meses de idade, ao passo que nos dias de hoje as mulheres param de amamentar por volta dos 6 meses.

Infelizmente, com exceção dessas, as fotos de mulheres amamentando no século XIX começa a ficar escassa: isso porque começou a surgir no mercado fórmulas e receitas para amamentação. Embora os médicos continuavam insistindo na importância do leite materno, as percepções culturais mudaram e, com eles, a construção social da feminilidade. Ao invés de ser um símbolo do maternalismo, a amamentação passou a ser vista como incompatível com a feminilidade – ou, mais especificamente, a mulher branca de elite. A amamentação passou a não ser vista como compátivel com as idéias de mulheres delicadas e refinadas, e no início de 1900, 9 em cada 10 mães pobres amamentavam, enquando apenas 17% das mães ricas o faziam. Já na década de 1950, nos Estados Unidos, apenas 20% das mães – pobres ou ricas – amamentavam. E hoje ainda continua o debate cultural sobre o aleitamento materno, a maternidade e a feminilidade.

Bibliografia:
SHARP, Gewn. Shifting Discourses of Motherhood: The Victorian Breastfeeding Photo Fad,
ABRAHAM, Tamara. Bizarre pictures reveal the unlikely trend for photographs of breastfeeding mothers in Victorian-era America.
Anúncios