Raríssimo terrário inglês, 1860-1870.
Raríssimo terrário inglês, 1860-1870.

Popularmente, os terrários surgiram em um período que mercadorestransportavam espécimes de plantas por milhares de quilômetros. Para isso, eles criavam um mini-ambiente auto-sustentável em que a umidade criada pelas plantas coletadas escorreria pelo vidro e abastecería-las. Chamados originalmente de “Caixa de Wardian”, ou Wardian Case, foram criadas originalmente pelo médico apaixonado por botânica Nathaniel Ward, que em 1820 possuía uma coleção de 25 mil espécimes em seu herbário. Na década de 1840, inconformado de que algumas plantas não se adaptavam ao ambiente, ele decidiu tentar cultivar algumas plantas dentro de uma caixa criada para a observação de insetos, pensando que assim as plantas seriam isoladas do ambiente externo e ainda poderiam ter luz, por conta do vidro transparente.

Mas como as caixas não eram projetadas para plantas, as vedações acabaram oxidando e as plantas morreram. Assim, Ward projetou uma caixa com tampa de vidro, semelhante a uma estufa em miniatura. A idéia logo foi adaptada para a decoração de interiores, e a Caixa de Wardian seria a precursora direta do terrário moderno e a inspiração para a criação dos aquários de vidro. Mais importante ainda, as Caixas ‘Wardianas” deram um impulso sem precedentes na mobilidades de plantas de importância comercial – por exemplo, vinte mil pés de chá vindos de Shangai foram para a Índia Inglesa para iniciar plantações de chá. Botos e árvores brasileira foram exportadas com sucesso para novos territórios ingleses. Reconhecido, Ward era membro da Sociedade de Boticáros de Londres e um dos fundadores da Sociedade Botânica de Edinburgo e da Sociedade Real Microcoscópia.

Pedestal americano para uma Caixa de Warren, 1850.
Pedestal americano para uma Caixa de Warren, 1850.

Ward chegou até mesmo a publicar um livro, ” On the Growth of Plants in Closely Glazed Cases” – ou “Sobre como crescer plantas em caixas de vidros pequenas”. Nesse livro, Wardian cita um autor chamado Sr. Ellis, que havia publicado um artigo sobre o crescimento de plantas em lugares fechados em 1839, ou seja, alguns anos antes dele.

Sabemos que as mulheres vitorianas tinham muito tempo em suas mãos – não trabalhar significa que seu pai ou marido era rico e, portanto, podia mantê-la – e mexer com terrra e plantas foi, durante algum tempo, um hobby da moda, sendo apropriado para homens e mulheres de todas as origens sociais. Apesar da popularidade, os terrários foram perdendo lugar e a prática caiu em declínio. Por isso, hoje sobrevivem poucos exemplares dos terrários do século XIX, e os poucos que sobrevivem não têm data ou nome do proprietário.

Bibliografia:
NEWDICK, Jane. “The terrarium makes a comeback“. Acesso em 28 de Março de 2016.
History of Terrariums + Terrarium Roundup“. Acesso em 28 de Março de 2016.
The History of Terrariums“. Acesso em 28 de Março de 2016.
As Caixas Wardianas“. Acesso em 28 de Março de 2016.
Histórico“. Acesso em 28 de Março de 2016.

Anúncios