globo-1900Na França do século 19 e início do século 20, era costume que a noiva guardasse a sua grinalda sobre um globo de vidro, colocado sobre uma base de madeira, chamado de “globe de mariée” – globo de casamento ou o mundo do casamento. A coroa repousaria sobre uma pequena almofada de veludo, muitas vezes vermelho e raramente rosa ou azul. Um dia depois, a noiva colocaria dentro do globo a sua coroa de flores, fosse natural ou artificial e, ao longo dos anos, ela acrescentaria objetos simbólicos – como mechas de cabelos, lembranças de batismo de crianças, pequenos anjos ou pássaros.

Ornamentos de pequenos depositados no globo também seriam colocados lá, mas não por acaso: a quantidade de espelhos corresponderia a quantos filhos o casais tivesse. Da mesma forma, frutas ou flores artificiais tinham significados: uvas para prosperidade, trigo para fertilidade, marfim para estabilidade. O revestimento interno era comandado pela mãe da noiva, que o ordenava a partir de um relojoeiro ou joalheiro, que na época eram artesões equipados com ferramentas para fazer folhas de bronze, flores e folhas. Veja abaixo algumas fotografias de globos de casamento do século XIX, e um do século 20: Todos eles foram vendidos em leilão no site LiveAuctionners, por entre 200 e 450 dólares cada.

19
Final do século XIX, de uma noiva francesa ou belga.

Globo francês do século XIX com flores de cera e folhas de metal.
Globo francês do século XIX com flores de cera e folhas de metal.

Globo francês do século XIX com flores de cera e pássaros e metal.
Globo francês do século XIX com flores de cera e pássaros e metal.

Globo francês do século XIX.
Globo francês do século XIX.

Globo do início do século 20, com folhas de carvalho e uma pomba.
Globo do início do século 20, com folhas de carvalho e uma pomba.

Globo francês do século XIX com uma coroa de flor de laranjeira.
Globo francês do século XIX com uma coroa de flor de laranjeira.

Acredita-se que esse costume tenha sido criado por volta de 1870-1880, tendo por volta de 40 centímetros de altura e 24 de largura. Era uma exibição da história do casal, para preservar suas lembranças de casamento, bem como para contar a sua história de vida. Colocados de forma proeminente na sala de jantar formal, os noivos escolhiam os itens para exibição, e cada um tinha um significado muito especial e pessoal para eles. Durante o auge de sua popularidade, durante o reinado de Napoleão III, haviam diversos outros materiais disponíveis, e vários outros significados. Passarinhos eram símbolo de amor; folhas de longevidade e união; flores de laranjeira eram virgindade; rosa o amor eterno; margaridas eram pureza e inocência; folhas de carvalho eram longevidade do casal; folhas de figueira eram prosperidade; árvore era um símbolo de amor e força, o trevo de quatro folhas era um símbolo de boa sorte; cerejas eram proteção contra má sorte; o pombo simbolizava o desejo de paz no lar; o pássaro segurando uma coroa de louros simboliza a construção da família pela mulher.

O espelho por si só merece uma explicação separada: espelho o central simboliza o reflexo da alma, a verdade. Ele reflete a luz do sol, e é um dos símbolos da sabedoria e do conhecimento. O triangular e em forma de diamante é o da fecundidade (aquele que simboliza o número de filhos que o casal deseja ter). O oval é um símbolo de sorte oferecido pelas damas de honra da noiva. Os espelhos retangulares com superfície levemente curvados, em torno da coroa, evocam um nó mágico e simbolizam a união de dois seres.

Globo francês do século XIX com almofada rosa.
Globo francês do século XIX com almofada rosa, dois espelhos ovais, dois triangulares e dois retangulares.

Globo francês do século XIX.
Globo francês do século XIX, com um espelho retangular.

Globo francês do século XIX com seis espelhos triangulares.
Globo francês do século XIX com oito espelhos triangulares.

Globo francês do século XIX com almofada rosa.
Globo francês do século XIX, com um espelho central e outro retangular

Globo do século XIX,
Globo do século XIX, com dois espelhos triangulares e quatro ovais.

Globo em forma de caixa do início do século 20, com um espelho central e flores.
Globo em forma de caixa do início do século 20, com um espelho central e flores.

Atualmente, é raro encontrar esses globos de casamento em boas condições. Elas eram extremamente frágeis e por isso são mais facilmente encontrados em leilões.

Bibliografia:
La coutume des Globes de Mariage. Acesso em 10 de Novembro de 2016.
Le Globe de Mariée. Acesso em 10 de Novembro de 2016.
Secret Life of Antiques: French Globe de Mariée. Acesso em 10 de Novembro de 2016.
Anúncios